O Açougueiro Bernie Fendelman e o Clube de Golf Restrito

Bernie Fendelman, o açougueiro judeu de uma cidade, recebeu inesperadamente uma grande herança e decidiu que seria uma boa ocasião para ingressar em um clube de golfe restrito.

A esposa, Feiga, logo disse que ele nunca seria admitido porque o tal clube tinha um histórico de vetar os candidatos que não fossem 100% norte-americanos, sem falar que havia um certo ranço antissemita por parte da diretoria. E para encerrar a conversa ela disse que tudo nele era judeu, a começar pelo nome.

Ouvindo aquilo, Bernie respondeu:
– “Isso não será problema, eu vou fazer algumas mudanças”.

No dia da entrevista com os Conselheiros do clube, Bernie estava pronto para eles: tinha raspado a barba, tirado os “Peiot” (¹), deixado de lado o “Yarmulke” (²), vestido um terno Giorgio Armani, sapatos Allen Edmund e uma vistosa gravata vermelha “Ermenegildo Zegna”. Preocupado, para disfarçar o sotaque iídiche, nos dias anteriores tinha assistido dezenas de vezes Charlton Heston interpretando Moisés no filme “Os Dez Mandamentos”. Para finalizar o disfarce, antes de sair de casa jogou um pouco de Old Spice no rosto e pescoço e colocou dois chicles na boca.

Logo que começou a reunião, Cliff, o chefe do comitê de membros, um dos mais mal-encarados do grupo, perguntou:
– “Qual é o seu nome?”
Bernie:
– “Johnathan Dickerson”.
Cliff:
“Nome da esposa?”
Bernie:
– “Maria”.
– Cliff:
– “Ocupação?”
Bernie:
– “Construção e Investimentos”.
Cliff:
– “Clube que frequenta atualmente?”
Bernie:
– “Associação Nacional de Caçadores de Cervos”.
Cliff:
– “Bebida favorita?”
Bernie:
– “Bourbon”.
Cliff:
– “Passatempo favorito:
Bernie:
– “Colecionar armas”.  
Cliff:
– “Bem, está tudo certo, sua admissão será aprovada. Ah, não que isso importe, mas só mais uma pergunta: afiliação religiosa?”
Bernie:
– “Pensei que tivesse ficado bastante óbvio para você que eu sou um “goy” (³).

(¹) “Peiot” são os cachos de cabelos laterais cultivados por alguns judeus ortodoxos.
(²) “Yarmulke” é a palavra em iídiche para “solidéu”, o pequeno gorro que os judeus usam como sinal de respeito e reverência ao rezar e ao entrar em lugares específicos, como a Sinagoga e o Cemitério. Os religiosos o usam permanentemente. Em hebraico é chamado de ‘Kipá’.
(³) “Goy”, também do iídiche, é a palavra usada para referir-se aos gentios, ou não-judeus.

Gosta do Humor Judaico?
Se você gostou da publicação, compartilhe o link clicando nos ícones abaixo. NÃO COPIE E COLE. Com isso você respeitará e valorizará meu trabalho de pesquisa, tradução e adaptação do melhor do Humor Judaico.   


Foto: Kindel Media – Pexels

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.