Os Soldados Judeus no Exército do Tzar

Na Rússia, durante a 1ª Guerra Mundial, o exército do Tzar estava desesperadamente necessitado de recrutas.

A situação era tão aflitiva que resolveram convocar todos os estudantes de uma escola rabínica. 

Os rapazes foram levados a um centro de treinamento para aprender a atirar com fuzis, após o que seriam enviados ao campo de batalha. 


Aí aconteceu o improvável: os instrutores ficaram atônitos com a precisão dos tiros. Um dos jovens atirava num alvo e em seguida todos os demais acertavam exatamente no mesmo buraco da bala! 


Logicamente os oficiais resolveram montar um regimento constituído apenas pelos rapazes judeus, e o grupo passou a representar uma esperança para o exército. 


Imediatamente todos embarcaram num trem e foram levados até a região onde a situação era mais difícil. 


Chegando lá, foram dispostos em uma linha defronte ao inimigo, e o comandante deu a ordem usual:

– “Preparar… Apontar… Fogo!” 

Nada aconteceu, nenhum tiro. O inimigo começou a avançar e o oficial gritou como louco:

– “Atirem, seus idiotas!” 

Silêncio total, enquanto o inimigo chegava cada vez mais perto. 

– “O que está acontecendo? Porque não atiram, seus imprestáveis?” – berrou o comandante. 

Nesse momento um dos estudantes respondeu:

– “Como assim, atirar? O senhor não vê que têm pessoas lá? Alguém pode se machucar!”

Gosta do Humor Judaico?
Se você gostou da publicação, compartilhe o link clicando nos ícones abaixo. NÃO COPIE E COLE. Com isso você respeitará e valorizará meu trabalho de pesquisa, tradução e adaptação do melhor do Humor Judaico.   


Foto: klimbim2014

 

One thought on “Os Soldados Judeus no Exército do Tzar

  • Jacques Rigler

    Magnífico e sensacional esta história, Gerson. Logicamente você não poderia saber, mas o meu avó materno, que era austríaco, lutou ao lado do exército dos Alemães durante a Primeira Guerra Mundial, e logo no início das perseguições de HItler e seus asseclas, foi preso e torturado como judeu e morto, jogado para dentro de uma piscina que tinha na sua base armas como facas, estacas ou lancas, e quem não morreu na hora, teve uma ajuda dos demais soldados do grupo ao tinha pertencido anteriormente.

    Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.