A Surdez e o Casamento Judaico

1. Teste de Surdez do Casal Judeu
Maurício, casado com Sara há mais de 50 anos, achava que a mulher estava perdendo a audição.
Incomodado com aquilo, por várias vezes tentou convence-la a ir a um médico, mas ela sempre se recusou, dizendo que não era uma velha surda como a mãe dele.
Sem saber como lidar com a situação, decidiu ir sozinho a um especialista, que sugeriu que ele fizesse um teste prático, sem que ela percebesse, para  ter certeza de que realmente era o caso de insistir em uma consulta.
Devidamente orientado, naquela mesma noite Samuel resolveu fazer a experiência.
Enquanto Sara lia o jornal, ele ficou alguns metros atrás dela e falou, em seu tom de voz normal:
“Eu te amo, querida”.
Não houve resposta.
Ele andou alguns passos em direção a ela e disse:
– “Querida, eu te amo demais”.
Mais uma vez, silêncio.
Desanimado e triste ao perceber que seus temores eram fundados, Mauricio avançou um pouco mais, dessa vez chegando até bem perto da poltrona onde a esposa estava sentada e falou, praticamente ao ouvido dela:
– “Sara, você sabe que eu te amo, né?”
Dessa vez ela virou para trás e respondeu, sem esconder a impaciência:
– “Pela terceira vez, Mauricio, eu também te amo!”

2.  Surda Como Uma Porta
Linda, voluntária comunitária de uma instituição de caridade judaica, estava substituindo outra senhora na visita quinzenal a um casal de idosos em sua casa.
Já no caminho lembrou que havia deixado de analisar a ficha com as anotações, mas acostumada ao trabalho e conhecendo os hábitos, manias e queixas dos patrícios, achou que não teria maiores problemas.
Chegando lá, tocou a campainha várias vezes sem que fosse atendida, e já preocupada com o que pudesse ter acontecido, bateu com força usando a argola de ferro pendurada na porta para isso.
Aliviada, percebeu que alguém estava abrindo as várias trancas e fechaduras até que apareceu o Sr. Berel, que a cumprimentou com um sorriso radiante.
– “Entre”, ele disse.
E continuou:
– “A Bertha vai ficar encantada em ver você, mas acabou de subir. Vou ter que gritar para ela descer, mas não vai adiantar, ela está surda como uma porta”.
Berel se virou e gritou, olhando para o andar de cima:
– “Bertha, a Linda está aqui para ver você!”
Linda, surpresa, ouviu a resposta imediata, firme e clara de Bertha:
– “OK! Diga para ela que estou descendo!”
Passados alguns assuntos, Berel se virou para Linda e disse, encolhendo nos ombros:
– “Não te falei? Está surda como uma porta!”

Gosta do Humor Judaico?
Se você gostou da publicação, compartilhe o link clicando nos ícones abaixo. NÃO COPIE E COLE. Com isso você respeitará e valorizará meu trabalho de pesquisa, tradução e adaptação do melhor do Humor Judaico.   


Foto: Mark Paton – Unsplash

2 thoughts on “A Surdez e o Casamento Judaico

  • Ruth Fisbein

    É …. o grande surdo ficou desapontado

    Responder
  • MARLI

    Boas demais.

    Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.