Paulo Vitola, Quando o Post Já Vem Embrulhado Prá Presente

Não sei desde quando conheço o Paulo Vitola. Apesar de termos a mesma e provecta idade, não fomos amigos na Curitiba bem menor da nossa juventude.

Me arrisco dizer que a primeira conversa foi em 1982, na campanha do Saul Raiz ao governo do Paraná, apresentados pelo Jaime Lerner. Melhor começo de amizade, impossível.

De lá para cá, encontros e desencontros em outras tantas gincanas políticas, algumas vitoriosas e outras nem tanto, mas todas com o ótimo resultado do reforço da amizade.

Paulinho Vitola, gênio da palavra e da música, autor e compositor premiado de inúmeras músicas em parceria com o Marinho Gallera, agora nos presenteia com seu primeiro livro de poemas: “Jogo do Bafo – Artes de um colecionador de figurinhas fáceis e difíceis”.

O título remete ao esporte que os da nossa idade praticávamos quando piás, na avidez de completar as coleções de figurinhas, especialmente as das Balas Zéquinha.

O recém-lançado livro do Paulinho está sendo vendido no site “Palavraria“, do qual copio e colo com o cuidado que ele merece:

O LIVRO

“Jogo do Bafo” é um livro de poemas para você ler em qualquer ordem, a qualquer hora, em qualquer lugar. Eles não têm titulo, nem estão numerados. Foram compostos por Paulo Vitola entre os 16 e os 73 anos de idade. Não estão datados e sua organização transgride propositalmente a cronologia de composição. 

O AUTOR

O curitibano Paulo Vitola escreveu poemas por mais de 50 anos, ao mesmo tempo em que trabalhou como compositor, profissional de televisão, publicitário e autor teatral. Alguns dos seus poemas foram publicados em jornais, outros foram musicados e gravados em forma de canções, muitos permaneciam até agora inéditos. “Jogo do Bafo” deve ser considerado o primeiro livro de poemas do autor. Paulo Vitola é membro da Academia Paranaense de Letras e tem mais dois livros de poemas prontos para publicar. Mas isso é outra história. O “Jogo do Bafo” está aí. É o abre-alas de uma obra que ainda tem uma avenida inteira para desfilar.   

Então, como dizia aquele comercial, “ligue djá“. Para acessar o site e comprar o livro, clique aqui

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *